Capta

GUIA DE ELABORAÇÃO DE
PEQUENOS PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS
PARA ORGANIZAÇÕES DE BASE COMUNITÁRIA

QUADRO DE OPORTUNIDADES

Editais e oportunidades de financiamento para projetos:
  • CNPq

    Edital: 19/2018 – Fitoterápicos
    Data limite: 30/08/2018

    O CNPq abre chamada pública com o objetivo de apoiar projetos que contribuam para pesquisa, desenvolvimento e inovação em fitoterápicos, com vistas ao desenvolvimento sustentável. Serão selecionadas propostas nas seguintes linhas temáticas: inovação em fitoterápicos e estudos clínicos utilizando fitoterápicos.

    Saiba mais »

  • BASF

    Edital: Conectar para Transformar
    Data limite: 18 horas do dia 17/09/2018

    A BASF torna público seu edital que irá selecionar e apoiar projetos que visam contribuir para o desenvolvimento sustentável em localidades onde a empresa atua. Serão aceitos projetos nas seguintes linhas temáticas: Empregabilidade; Educação Científica; proteção de recursos naturais/biodiversidade e Educação Ambiental.

    Saiba mais »


  • *Veja mais oportunidades

Análise de riscos

Perguntas-chave:

O que pode dar errado na execução do projeto?

O que pode ser feito para reduzir os riscos?

O que será feito caso algo não funcione como previsto?

Algumas chamadas apresentam um item chamado análise de riscos. Neste local, devem ser descritos os riscos, ou seja, os acontecimentos que podem comprometer o bom andamento do projeto, buscando identificar seu IMPACTO (se ocorrer, afeta muito ou pouco o projeto) e sua PROBABILIDADE (se é bem provável ou pouco provável acontecer). Em geral, junto com os riscos são apresentadas estratégias para minimizá-los, que inclusive já podem fazer parte do plano de trabalho do projeto.

Veja um exemplo:

“Alguns riscos podem comprometer a recuperação da nascente prevista no projeto. O principal deles é relacionado à sobrevivência das mudas que serão plantadas, para tanto, está previsto o monitoramento das mudas durante dois anos após o plantio, com reposição de até 30% das mudas, além de coroamento das mudas, cobertura do solo e manejo de pragas, caso necessário. Outro fator de risco refere-se ao maquinário prometido pela prefeitura para a abertura das covas para o plantio. Para garantir que seja de fato disponibilizado, foi feito um acordo de parceria, formalizado por documento (que se encontra em anexo na proposta). Além desses, há o risco de pisoteio das áreas em recuperação pelo gado, neste sentido, até que possamos cerca-la, será colocada uma placa no acesso da nascente com orientações e os moradores serão orientados a não levar o gado para a área.”

A análise de riscos pode ser feita com base no seguinte pensamento:

Análise de riscos
(clique na imagem para ampliar)

Muitas vezes, quem elabora a proposta acha que dizer que o projeto não tem riscos demonstra que o projeto é bom. No entanto, isso é um engano, pois pode demonstrar certa fragilidade, já que não há clareza sobre as ameaças que o projeto pode sofrer, sem condições de prevenção ou estratégia para superá-las.


Veja também:


  • Visite também:

  • Parceiros
ISPN - Instituto Sociedade, População e Natureza - email: instituto@ispn.org.br. » Fazer login
SHCGN CLR Quadra 709 Bloco "E" Loja 38, CEP 70.750-515 Brasília - DF . Fone/Fax: (61) 3327-8085
DoDesign-s Design & Marketing